Mestrado Acadêmico | Esclarecimentos

Esclarecimentos sobre o edital para ingresso no PPGEP (Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção) e orientações complementares ao candidato que deseja efetuar inscrição

1) Introdução

A existência de um Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu depende da aprovação prévia da CAPES (Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Uma vez criado, ele passa por avaliação periódica pela CAPES, que emite conceitos de 1 a 5; caso o Programa obtenha conceitos 1 ou 2, fica impedido de funcionar. Os Programas que obtém conceito 5, para poderem progredir para os conceitos 6 ou 7, são também avaliados em relação à inserção internacional. Dessa forma, como o PPGEP campus Recife possui conceito 6, é fundamental considerar a conexão entre a avaliação realizada pela CAPES e o perfil do aluno a ingressar, considerando um alto potencial de pesquisa e impacto internacional.

2) Natureza de um Programa de Pós-Graduação Stricto Senso

Pela estrutura da CAPES, o programa é constituído de áreas de concentração, que são divididas em linhas de pesquisa, compostas por projetos de pesquisa. Uma finalidade fundamental do Programa no processo de formação do egresso é desenvolver os projetos de pesquisa. Esses projetos de pesquisa são financiados por órgãos de fomento à pesquisa, como CAPES, CNPQ (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), FACEPE (Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco), dentre outros. Se os projetos de pesquisa não atenderem suas metas de avanço em pesquisa, o financiamento destes pode ser comprometido, assim como a avaliação do programa pela CAPES. Se isso ocorrer, haverá no futuro, como sempre tem ocorrido, redução de recursos (incluindo bolsas para futuros alunos), o que tende a reduzir o grau de funcionamento do Programa,e portanto, reduzir o número de vagas para alunos no futuro. O aluno é parte integrante da equipe do projeto de pesquisa. O perfil do aluno ingressante tem papel fundamental nos resultados dos projetos de pesquisa.

3) Perfil do egresso do PPGEP

Os egressos do Programa devem ter uma capacitação elevada para desenvolvimento de pesquisa avançada e inovação. O perfil deve variar com a atuação: • Se for atuar na academia, deve ter perfil de pesquisador com habilidades para desenvolver pesquisa avançada e formar outros pesquisadores. • Se for atuar nas organizações, deve ter habilidades para desenvolver pesquisa avançada e por conseguinte ‘Inovação’ no sistema produtivo, única forma sustentável de gerar novos postos de trabalho e manter os empregos existentes e assim contribuir com a evolução da sociedade. As habilidades para pesquisa devem, preferencialmente, ter sido desenvolvidasdesde cedo em sua graduação e em atividades que precedem seu ingresso no programa. O Programa implantou um Sistema de Egressos na web, para monitorar e manter a integração futura entre os egressos. Estes egressos do Programa apresentam palestras para os alunos de graduação, promovendo uma maior interação da graduação com o setor produtivo. Alguns destes egressos ministram palestras nos cursos de MBA oferecidos pelo Departamento de Engenharia de Produçãoe também atuam como docentes em algumas disciplinas destes cursos.

4) Perfil do ingressante

O candidato a aluno ingressante deve ter perfil para o desenvolvimento dos projetos de pesquisa existentes no Programa, na ocasião de seu ingresso, ou dos projetos em negociação para financiamento (pelo CNPQ, CAPES ou outros órgãos de fomento). Futuros projetos sempre são consistentes e compatíveis com a natureza temática do programa, que é visualizada nas suas linhas de pesquisa. Cada linha e projeto de pesquisa tem características próprias e requer perfil específico de candidato, quanto a vários fatores, especialmente os de natureza temática. Como exemplos tem-se: habilidades para modelagem matemática e desenvolvimento de programas de computador, habilidades de liderança e trabalho em equipe, etc. Um ponto em comum nesse perfil são as habilidades do candidato para pesquisa e sua facilidade para investigar e desenvolver novas ideias na fronteira do conhecimento. As habilidades para pesquisa preferencialmente devem ter sido desenvolvidasdesde cedo em sua graduação (por exemplo, em Programas de Iniciação Científica – PIBIC orientados por pesquisador com perfil avançado em pesquisa, preferencialmente com bolsa de Produtividade em Pesquisa do CNPQ) e em atividades que precedem seu ingresso no programa. Uma vasta experiência profissional nas rotinas de trabalho das organizações pode ser prejudicial na formação deste perfil ao longo do tempo. Este tipo de perfil é adequado ao tipo de projeto de inovação que faz parte do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu de Mestrado Profissional.

5) Pontos mais marcantes nos critérios do edital

A avaliação do candidato em relação àsatividades de iniciação científica (IC) na graduação é realizada pelo tempo de atuação na atividade de IC ponderado pela natureza do trabalho de IC e pela qualificação do orientador do IC bolsista do CNPq. Nessa avaliação da qualificação do orientador de IC, o tempo de IC do candidato será ponderado, da seguinte forma, levando em consideração o nível da bolsa PQ do orientador:Bolsa PQ-1A e 1B= 1,0; bolsa PQ-1C e 1D= 0,9; bolsa PQ-2=0,8; sem bolsa=0,3). Em relação ao item de Produção Científica, serão considerados os itens de publicação em congresso de IC, publicação de trabalhos completos em anais de congresso nacional e/ouinternacional ligados a sociedade científica (a pontuação desse itemserá associada ao percentual de pesquisadores PQ no comitê científico da sociedade), publicação de capítulo de livro ou proceedings de série científica, indexado no ISI, por editora com reconhecimento científico internacional, publicação em periódicos indexados no Scopus ou ISI.