Inscrições para o Mestrado Profissional em Engenharia de Produção da UFPE até 9 de Dezembro

Empresas de diversos setores da economia tais como: Administração Pública, Agronegócio, Alimentos, Automotivo, Construção Civil, Consultoria, Educação, Embalagens, Energia Elétrica, Energia Eólica, Estaleiro, Petróleo e Gás, Saúde, Segurança, Siderúrgico, Transporte, Varejo e outros tem investido na formação de mestres profissionais em Engenharia de Produção da UFPE.

As inscrições para 2020 ocorrerão no período de 17 de Outubro a 09 de Dezembro de 2019.

Mais informações em http://www.ppgep.org.br/pro/mestrado_profissional_como_ingressar/

Engenharia de Produção da UFPE marca presença no EPPGEP 2019

O EPPGEP é o Encontro Científico da ANPEPRO, que tem como objetivos: Foco em Pesquisa; Criação de um ambiente de aconselhamento aos alunos de Pós-Graduação; e, Reconhecimento dos alunos de Pós-Graduação em Engenharia de Produção com melhores resultados nas modalidades Mestrado Acadêmico, Mestrado Profissional, Doutorado e Produto tecnológico. O evento ocorreu de 16 a 18 de setembro na escola de Engenharia da UFRGS.

O doutorando Lucas Borges recebeu menção especial na sessão temática “Decison Models”; A doutoranda July Bias recebeu menção especial na sessão temática “Optimization Models”; e o delegado da Policia Federal e Mestre Marco Aurélio Faveri recebeu o prêmio de melhor publicação de Mestrado Profissional.

UFPE aprova primeiro Doutorado Profissional em Engenharia de Produção no Brasil

A primeira turma tem previsão de início das aulas em março do próximo ano

Neste mês, foi aprovada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) a criação do doutorado profissional em Engenharia de Produção ofertado pelo Programa de Pós-Graduação Profissional em Engenharia de Produção (PPGEP-PRO). Este doutorado é o primeiro da modalidade profissional no país.

O curso tem previsão de início das aulas a partir de março de 2020. O curso possui as áreas de concentração de Gerência da Produção e Pesquisa Operacional, além das linhas de pesquisa de Gestão da Informação; Planejamento e Gestão da Competitividade; Confiabilidade, Manutenção e Riscos em Sistemas de Produção; Otimização de Sistemas e Processos e Sistemas de Informação e Decisão.

O mestrado profissional na área foi implementado no ano 2000

“A Engenharia de Produção da UFPE tem uma história de contribuição com a sociedade na formação de profissionais em diversas modalidades, tais como graduação e pós-graduação, stricto e lato sensu, acadêmico e profissional, mestrado e doutorado tanto no Campus Recife quanto no Campus Caruaru”, afirma o professor Rodrigo Ferreira, vice-coordenador do curso.

CURSOS – O início foi em uma primeira fase da pós-graduação lato sensu em 1973 e retomada em 2001 em uma segunda fase. Nesta modalidade, mais de 1 mil alunos foram formados nos cursos de especialização e MBA em Gestão da Produção, Gestão da Informação, Gestão da Manutenção, Gestão de Projetos e Logística.

Na modalidade acadêmica da pós-graduação stricto sensu, a Engenharia de Produção da UFPE teve uma primeira fase do mestrado acadêmico em 1979 e uma segunda fase com a criação do PPGEP (Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da UFPE) em 1998. Iniciou o doutorado acadêmico em 2001 e iniciou o mestrado acadêmico em Caruaru em 2012. Na modalidade do mestrado acadêmico, a UFPE formou 376 alunos no Campus Recife e 42, no Campus Caruaru. O doutorado acadêmico formou 88 egressos no Campus Recife.

Na modalidade graduação, a primeira turma de Engenharia de Produção da UFPE foi iniciada no ano 2000 no Campus Recife e foi interiorizada em 2009 no Campus de Caruaru. Ao todo, foram formados em Engenharia de Produção 457 alunos no Campus Recife e 71, no Campus Caruaru.

A modalidade profissional da pós-graduação stricto sensu teve inicio no mesmo ano da graduação em 2000 com o mestrado profissional em Engenharia de Produção, o primeiro mestrado na modalidade profissional na UFPE que formou 231 egressos até o momento.

“É importante destacar que tanto os cursos de pós-graduação stricto sensu na modalidade acadêmica quanto na modalidade profissional foram avaliados com conceito máximo no país nas últimas avaliações da Capes”, ressalta o vice-coordenador do curso.

Fonte: Matéria publicada em 03 de setembro de 2019 – ASCOM UFPE